A luta entre o Bem e o Mal: Ficção e Realidade

Image

  • “O medo provoca a raiva. A raiva provoca o ódio. O ódio provoca a destruição” (Mestre Yoda, guerreiro Jedi, em A Ameaça Fantasma – Guerra nas Estrelas I, filme do diretor George Lucas)
 
O Bem e o Mal sempre andaram por aqui. Estão em cada um de nós. Harmonizar-se significa colocar o Bem acima do Mal, sabendo que este equilíbrio está sempre ameaçado pelas forças do mal que estão dentro de nós e ao nosso redor. As lições dos filmes mais uma vez se fazem presentes a partir de frases que as vezes passam despercebidas aos nossos sentidos e que, com isto, não nos permitem ir além quanto aos seus significados e possibilidades.
 
Destaco a fala de Yoda, personagem da saga de ficção criada por George Lucas, com o intuito de resgatar aquilo que é parte da história humana real, de carne e osso, que está sendo construída desde tempos imemoriais e que continua hoje, a cada nova linha, ação, idéia e realização de cada um de nós.
 
Há em toda a série Guerra nas Estrelas o resgate de eventos, personagens, acontecimentos e histórias marcantes da experiência humana na Terra. Temas fortes e presentes como as guerras, os interesses comerciais, a corrupção, as estruturas e sistemas políticos (como o Senado, a República ou a Monarquia), a lealdade, a coragem, a bondade, a ambição e a maldade, apresentados no Episódio I desta narrativa composta por 6 filmes nos dão uma amostragem do quanto podem ser ricas as lições que aprendemos a partir da ficção.
 
Ficção esta que, por sua vez, é composta como dissemos, com base em nossas experiências, sejam elas boas ou más, positivas ou negativas, benditas ou malditas…
 
A frase destacada no início destas linhas, crua e direta, simples e objetiva, nos coloca em contato com uma verdade que é praticamente inquestionável, ou seja, a de que acuados, temerosos e tomados por nossos mais  superficiais ou profundos medos, nos rendemos ao mal, embarcamos na raiva, alimentamos e estimulamos o pior dos sentimentos, o ódio e, com ele, caminhamos para a guerra, a dor e a destruição de tudo aquilo que tanto lutamos e trabalhamos para constituir.
 
Além do medo, há também a corrupção e todo o destempero e loucura que regem aqueles que pautam sua existência na busca incessante e desmedida do dinheiro, do lucro e de seus dividendos. Não condeno, com isto, o empreendedorismo, a iniciativa privada e o trabalho honesto, mas as ações que desconsideram as leis e colocam-se acima daquilo que orienta e rege o tecido social em sua busca por harmonia. Realizar e com isto lucrar é sim possível sem se corromper, ao menos é o que penso e, creio, comigo inúmeras outras pessoas de bem em todo o mundo.
 
Mas se há o medo, em contrapartida temos a coragem. Se existe a corrupção, por outro lado temos a decência, a ética, a honestidade. Na luta entre o bem e o mal, por mais que em alguns momentos venhamos a crer, como no cinema, que o mal pode triunfar, há sempre espaço para a vitória definitiva do bem! E que a força esteja com todos nós que acreditamos no bem e num mundo mais justo, digno, ético, em paz!

Por João Luís de Almeida Machado

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s