A Internet em 24 horas

Isolated ComputerA internet mudou sua vida? A resposta provavelmente é afirmativa. Se ainda não é, certamente será em brevíssimo período.  Basta atentar para os dados relativos ao uso da web e da consequente atuação humana na rede mundial de computadores para entender o alcance que o mundo virtual passou a ter na vida de todos. Preste atenção aos números, cada vez mais na casa dos milhões e em alguns casos dos bilhões, para que seja possível entender as considerações e repercussões de todo este movimento para cada pessoa do planeta.

– A quantidade de informação movimentada em um dia na internet seria suficiente para preencher 168 milhões de DVDs.

– 22 milhões de horas de programas e filmes de televisão são assistidos diariamente pelo NetFlix.

– 864 mil horas de gravações de vídeos são adicionadas ao YouTube todos os dias.

– 18,7 milhões de horas de músicas são ouvidas através do Pandora (Se você tivesse iniciado a escuta no ano em que Jesus Cristo nasceu, portanto há 2012 anos atrás, seu tocador de música digital ainda não teria parado).

Quantos DVDs você consegue assistir em um final de semana? Atualmente as pessoas estão preferindo as produções curtas. O crescimento dos seriados de televisão, que tem entre 30 e 40 minutos de duração, de certo modo comprovam isto. O YouTube é uma das maiores e mais consultadas bases de dados do mundo e sua característica é justamente essa, ou seja, os vídeos curtos, de no máximo 10 minutos (é claro que há produções com maior tempo nesta rede social, mas prevalecem os vídeos curtos). De qualquer modo, a questão crucial desta informação refere-se ao fato de que o volume de informação gerado diariamente está totalmente fora do controle de qualquer pessoa, instituição, país… Tornou-se impossível acompanhar tudo o que a humanidade está produzindo e colocando na rede. Ao mesmo tempo, o lugar ao sol no universo virtual está cada vez mais disputado e com menores chances para que as pessoas consigam a melhor vaga para estacionar ou colocar seu guarda-sol!

– Em 24 horas são enviados 294 bilhões de e-mails (Seriam necessários 2 anos para os correios dos EUA processarem essa quantidade de mensagens). E, ainda assim, os especialistas têm afirmado que o e-mail é cada vez menos utilizado no mundo. Imaginem então se ainda fosse considerado como recurso popular! Faça o cálculo para entender o que significa um número como este: São mais de 12 bilhões de e-mails enviados em apenas uma hora; 204 milhões de mensagens de correio eletrônico em um minuto. E o que será que as pessoas estão comunicando? Quem está usando esta ferramenta? O advento das redes sociais deslocou o uso do e-mail para usuários mais velhos ou para o uso corporativo e profissional. As novas gerações estão dando preferência para os comunicadores instantâneos ou para ferramentas como os microblogs.

– São colocados online 2 milhões de postagens em blogs diariamente (Quantidade esta capaz de suprir a revista Time ao longo de 770 anos). A web democratizou a publicação em escala nunca antes vista no mundo. Escrever um texto, disponibilizar através de uma ferramenta de uso fácil e rápido (com possibilidades de personalizar a página e a postagem) e, principalmente, verificar que há leitores interessados com os quais é possível interagir em função do que se postou (que além de texto pode ser composto por imagens, vídeos, gráficos, tabelas, gravações em áudio, músicas…). Mas o que se escreve? Quem está publicando? Quem é o leitor? O que se pensa e se comenta sobre o que foi postado? O que se pensa e não se comenta sobre o que está nos blogs? Quem sobressai e sobrevive com seu blog nesta seara tão concorrida da web em que as pessoas se autopublicam?

– O Facebook contabiliza 172 milhões de acessos em um dia; No Twitter são 40 milhões; No Linkedin: 22 milhões; No Google+: 20 milhões; No Pinterest: 17 milhões.

– As pessoas gastam aproximadamente 4,7 bilhões de minutos no Facebook por dia.

– 250 milhões de fotos são disponibilizadas diariamente no Facebook (Se fossem colocadas uma sobre a outra teriam a altura equivalente a 80 Torres Eiffel).

Os números são avassaladores. Não se esqueçam, referem-se a apenas um dia de uso destas redes sociais. Em 24 horas apenas, estas plataformas de interação social no mundo virtual conseguem arregimentar mais gente que a população do Brasil, o 5º país mais populoso do planeta! Você está no Facebook? E no Twitter? Conhece o Pininterest? Tem conta no Linkedin? Interage pelo Google+? Como usa estas ferramentas? Apenas profissionalmente ou para fins pessoais? As redes sociais compõem espaço pelo qual muitas pessoas conseguem, nos dias de hoje, contatos pessoais ou profissionais que fora da web não se permitem ou não atingem. O fluxo de pessoas é grandioso e precisa ser compreendido além dos números, pensando-se nas consequências culturais, sociais, políticas e econômicas. É preciso pensar, por exemplo, que com tantas horas dispendidas nas redes sociais virtuais quanto tempo nos resta fora desta esfera digital?

– São vendidos 378 mil iPhones ao redor do mundo em um dia (Superando a marca de pessoas nascidas diariamente, que é de 371 mil novos seres humanos).

– 35 milhões de aplicativos são baixados em telefones celulares.

Tente pensar num mundo sem telefones celulares. Não consegue? Se você tem dificuldade em fazer este exercício mental é porque provavelmente nasceu depois que este recurso se tornou parte tão presente na vida humana. Mas não é preciso fazer tanto esforço assim, porque os celulares somente se difundiram a partir dos anos 1990. Antes disso só contávamos com as linhas fixas e isso está, no túnel do tempo, somente há aproximadamente 20 anos atrás… De qualquer modo, é certo que estes aparelhos são notáveis simplesmente pelo fato de tornarem móvel a telefonia, mas não se restringiram a isso e se tornaram “canivetes suíços” digitais. São câmeras fotográficas e de filmagem, calculadoras, tocam música digital, tem inúmeros jogos eletrônicos a disposição, acessam a internet… Agora, e antes dessas maravilhas estarem em nossos bolsos e bolsas, como vivíamos? Pergunte para seus pais, tios, avós, professores e para quem for anterior a Geração Y para ter uma ideia. Talvez eles lhes digam que havia mais aventura no ar, pois ao sair de casa, uma pessoa podia contar, no máximo, com os velhos e desgastados orelhões públicos como alternativas para emergências… E, ainda assim, vivia-se tão bem quanto hoje em dia, talvez sem as mesmas preocupações que tanto nos acompanham em qualquer saída para ir à esquina!

De qualquer modo, os números espetaculares e crescentes da internet mostram que a mesma é cada vez mais onipresente e onipotente e que, certamente, isso demanda de cada um e de todos, olhar mais crítico quanto ao uso desta enorme rede mundial de computadores. Há muitos e incontáveis benefícios – na vida, no trabalho, na escola e onde for – para todas as pessoas, mas o uso precisa ser sempre criterioso, inteligente, focado, crítico e capaz de beneficiar o usuário e toda a comunidade, caso contrário ao invés de ferramentas podem se tornar armas que estamos a apontar contra nós mesmos, todos os dias!

Fonte de dados sobre a Internet 24 horas: MBA Online

Por João Luís de Almeida Machado

One thought on “A Internet em 24 horas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s